Publicidade

Você sabe o que é colorimetria e como usar no seu dia?

Você sabe o que é colorimetria e como usar no seu dia?

Colorimetria: como escolher as cores certas para se destacar? 

Publicidade

Na vida existem poucas certezas, uma delas é que no dia que você descobrir o que é a cor e como ela funciona você não pode mais ficar sem ela.

Você acha que por trás da perfeição dos looks das celebridades existem apenas as mãos experientes de um estilista? Você está errado.

Para estar sempre linda e perfeita não só o tipo de vestido que você usa, mas também e acima de tudo qual a cor e para isso você precisa de uma consultora capacitada para fazer a análise de cores, mais conhecida como colorimetria.

Publicidade

A análise de cores se baseia justamente nisso, ou seja, encontrar os tons que melhor realçam a combinação pele-olhos-cabelo de cada um e começar a usar a cor como uma verdadeira ferramenta de beleza. Para cada um de nós existe uma paleta de referência.

Como funciona a colorimetria?

Colorimetria: como usá-la a seu favor
Colorimetria: como usá-la a seu favor.

A análise de cores é o primeiro passo na consultoria de imagem e é usada para determinar sua paleta de cores ideal para roupas, acessórios, maquiagem e cabelos. De acordo com essa teoria, para cada um de nós existem cores “amigáveis”, capazes de nos fazer parecer mais bonitos, saudáveis ​​e jovens. 

Da mesma forma, temos cores “inimigas”, que nos deixam cansados ​​e desgastados, mesmo quando não estamos. Eu diria que vale a pena conhecer os dois, amigos e inimigos, para aprender a nos valorizar a partir da cor.

Certamente o método infalível é o do drapeado: a análise de cor realizada precisamente colocando folhas coloridas no rosto, para verificar empiricamente o efeito na pele. 

Publicidade

Dito isto, ainda podemos tentar descobrir por nós mesmos se temos um tom quente ou frio. Por exemplo, vamos observar a cor das veias (do antebraço, mas não só): as azuladas indicam cores frias, as esverdeadas indicam cores quentes. 

Outro método é a observação de lábios e orelhas: os rosa/roxo são típicos do subtom frio, os pêssego/amarelado pertencem ao subtom quente. E depois, o tipo de pele: a rosa ou azeitona é basicamente fria (ou bronzeia um pouco ou assume a cor típica de tijolo); quanto mais âmbar é quente (se bronzeia com facilidade e tem menos queimaduras solares).

O importante é não confundir claro-escuro com quente-frio, pois são duas coisas diferentes e não relacionadas. Em suma, não é certo que uma morena tenha cores quentes e uma loira tenha cores frias!

Qual é o erro mais comum que cometemos na hora de escolher a nossa cor?

O erro mais comum é escolher o que gostamos, sem considerar o que nos convém: às duas coisas não necessariamente coincidem.

Acontece, portanto, que nos deixamos guiar pelas modas atuais ou, simplesmente, pelo hábito: as mulheres que usam muito preto, por exemplo, têm a sensação de que não há alternativas, que só existe essa (não) cor nas lojas…  na verdade, muitas vezes nem estão considerando outras cores.

Como funciona o conselho de um profissional de colorimetria?

A sessão de análise de cor é uma experiência divertida e não invasiva: para fazê-la, basta estar levemente maquiada e não bronzeada. Sentamos em frente ao espelho e avaliamos o efeito que as folhas coloridas têm sob o rosto. Claro que segue uma certa sequência e um certo ritual, revisando também as cores dos cabelos e as paletas de maquiagem. Depois falamos de roupas e acessórios, com suas combinações e gestão de guarda-roupa.

Talvez, você queira fazer um teste e descobrir qual é a sua paleta de cor.

E aí, que tal começar a usar o poder da colorimetria à seu favor?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.