Publicidade

QUANDO DEVO DAR FÓRMULA PARA O MEU BEBÊ?

QUANDO DEVO DAR FÓRMULA PARA O MEU BEBÊ?

Apesar do leite materno ser perfeito para o seu bebê, em casos de impossibilidade é possível e necessário ser substituído por algumas fórmulas lácteas, e não pelo leite de vaca, pois pode ser extremamente prejudicial ao desenvolvimento do bebê.

Publicidade

A amamentação é o melhor ato que você pode oferecer para o seu filho, pois o leite materno é insubstituível em alguns casos sobre todos os pontos de vista, entenda alguns: 

  • em sua composição encontra-se tudo o que é necessário para o desenvolvimento da criança, desde a quantidade e até na variedade exata, sem deixar que falte nenhum nutriente, onde até a água se faz presente e garante a hidratação;
  • crianças com a alimentação fornecida pelos seios possuem uma menor frequência em relação aos processos alérgicos;
  • são menos obesas;
  • quando feita da maneira correta, ajuda no fortalecimento dos músculos da face, boca e língua, prevenindo possíveis problemas futuros na fala e até na oclusão de dentes; 
  • traz benefícios também de ordem econômica, uma vez que não existem custos e que pode ser levado a qualquer lugar; 
  • um dos fatores mais importantes a ser mencionado é o fortalecimento do vínculo entre a mãe o bebê, tornando um momento ainda mais especial e único, onde ambos estão passando por fase de adaptação e conhecimento. 

É exatamente por essas razões mencionadas acima que a OMS (Organização Mundial da Saúde), recomenda a amamentação, e de forma exclusiva até os seis primeiros meses de vida do bebê. 

Vale lembrar que quando existirem algumas dificuldades relacionadas à amamentação, a mulher pode recorrer a ajuda na própria maternidade. Em casos em que haja necessidade, também é possível acessar bancos de leite, onde o bebê será alimentado pelo leite fornecido por outras mulheres.

Publicidade

Na impossibilidade total do bebê receber leite materno, jamais deverá ser implementada a alimentação com o uso do leite de vaca, uma vez que além de ser prejudicial ao desenvolvimento do bebê, ainda pode ocasionar reações alérgicas.

Fórmula: quais os tipos existentes?

As fórmulas possuem características diferentes entre si, onde cada uma é responsável para atender determinadas exigências nutricionais de acordo com cada fase do bebê.

PARA PREMATUROS:

Além de possuir modificação para facilitar a digestão, a fórmula para prematuros possui uma composição diferenciada para atender as necessidades que um bebê prematuro precisa. Geralmente possui maiores quantidades de proteínas, gorduras bem balanceadas e misturas. É importante lembrar que na maioria das vezes esse tipo de fórmula é usado apenas para um complemento, uma vez que o mais recomendado por especialistas é que o bebê quando prematuro seja alimentado com o leite materno, principalmente o colostro. 

FASE 1:

Nesta fase as fórmulas são chamadas de fórmulas de partida e são responsáveis por atender as necessidades nutricionais que o bebê precisa até os seus seis meses de idade.

Publicidade

FASE 2:

Na fase dois as fórmulas são essenciais para o segundo semestre de vida do bebê, e o diferencial presente nesta é a presença de um maior teor de ferro. 

Existem também outros tipos de fórmulas, onde cada uma possui o seu diferencial, sendo elas:

  • AR ou Antirrefluxo;
  • Fórmulas sem lactose;
  • HA ou Fórmulas Hipoalergênicas  
  • Fórmulas à base de soja; 
  • Fórmulas diferenciadas;

Agora ficou muito mais fácil entender um pouco melhor sobre as fórmulas e momentos em que existe necessidade de ser implementada na alimentação do seu bebê. Mesmo assim, é de extrema importância que haja uma recomendação e acompanhamento com um especialista! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.